Pondé, o infiel (16/07/2012)



Confesso: sou um infiel. Não no sentido de infidelidade amorosa, mas religiosa. Não creio no aquecimento global por causas antropogênicas (trocando em miúdos, não acho que nossos carros estejam aquecendo o planeta, e se o Sol fosse um Deus como uns pirados achavam que ele era, estaria rindo de nós e nossos ridículos celulares).

Freud estava certíssimo quando dizia que a maturidade é para poucos e viver uma infância retardada é um modo “seguro” de não enfrentar a vida adulta, que é sofrida, incerta, injusta e inviável.

Isso mesmo, repito para que meu pecado conste nos autos: não creio que o aquecimento global seja causado por emissão de gás carbônico, acho (inclusive tem cientista que afirma isso, os ecocéticos) que o recente aquecimento começou antes dos últimos cem anos, nos quais nosso gás carbônico cresceu, e ciclos de esquentamento e esfriamento sempre ocorreram. Inclusive aquele aquecimento que se deu entre 50 mil e 20 mil anos atrás (muito conhecido por quem estuda religiões pré-históricas como eu), foi bem benéfico para nossos ancestrais, assim como também o foi o da Idade Média.

Não há consenso acerca das causas antropogênicas do aquecimento global, há sim consenso (todo mundo que estuda religião sabe disso) ao redor do fato que apocalipse sempre deu dinheiro. Gastava-se dinheiro com indulgências na Baixa Idade Média, por que não seria o medo do fim do mundo ainda hoje uma mina de dinheiro?

O mercado do apocalipse verde tem seus sábios-profetas-cientistas, mágicos, gurus espirituais, nutricionistas-sacerdotes de alimentação sagrada, mercado de cristais sustentáveis, enfim, tudo que há nos fanatismos humanos. Ninguém saiu às ruas (muito menos nus) pela mecânica newtoniana, pela relatividade de Einstein, pelo empirismo de Bacon ou pelo evolucionismo darwiniano. Aliás, que mania mais “teenager” essa de tirar a roupa toda hora. Já estão barateando os seios.

As pessoas saem às ruas porque o verdismo é uma espiritualidade fanática como qualquer outra, regada a comunismo requentado: o verdismo é uma melancia, verde por fora, vermelho por dentro. A certeza daqueles que não comem carne acerca do pecado dos que comem é mais forte do que a condenação do orgasmo feminino pelas autoridades eclesiásticas mais idiotas que caminharam pela Europa nas Idades Média e Moderna.

Acho que a ciência do aquecimento global que afirma categoricamente que somos nós que aquecemos o planeta está mais para astrologia (sem querer ofender a astrologia) do que para astrofísica. Estamos perdendo um tempo danado deixando que as tribos dos sem-roupa fique atrapalhando um cuidado mais técnico acerca do futuro do planeta. Isso não quer dizer que não exista um problema de sustentabilidade no mundo, apenas que os fanáticos verdes nem sempre ajudam a enfrentá-lo.

A “verdade científica” em jogo é o que menos importa, mesmo porque nenhuma controvérsia científica ao redor do tema pode ser vista como algo diferente de heresia. Discordar não é ser visto como alguém que debate teorias científicas, como deve ser o convívio saudável em qualquer ciência, mas sim como recusa de adesão a uma forma de verdade superior e pura.

As bobagens do tipo “teoria gaia” ofuscam os corações e mentes, como todo fanatismo sempre o fez, e impede muitas vezes de ver que a natureza em sua beleza é muitas vezes mais Medeia do que Gaia.

Em 1755, quando o grande terremoto destruiu Lisboa, a comunidade intelectual europeia se esforçou para eliminar das causas a “vontade de Deus”. Hoje, supostos cientistas reintroduzem a forma mais vagabunda de metafísica na ciência, a da “deusa natureza”. Os coitados do Kant e do Newton nunca imaginaram que um dia iríamos retroceder às trevas assim. Andamos sim em círculos.

A pergunta que não quer calar é: se está certo quem diz que quando se quer saber a verdade sobre a sociedade deve-se seguir o dinheiro, cabe a nós identificarmos quem está ganhando rios de dinheiro com esse fanatismo que já se constituiu em mais um fator a dificultar sairmos do buraco econômico em que estamos.


Luiz Felipe Pondé (jornal FSP – 16.07.2012)  | Outra fonte para este artigo: AQUI


** ESTE ARTIGO É PROPRIEDADE INTELECTUAL DO AUTOR E DO JORNAL QUE O PUBLICA **


Anúncios

~ por Pathfinder em 23/07/2012.

15 Respostas to “Pondé, o infiel (16/07/2012)”

  1. Eu não vejo assim. Podemos ter opiniões próprias coincidentes com algumas correntes majoritárias sem no entanto estar boiando no mar do modismo ou do inconsciente coletivo. O filósofo autodeclarado também pode (ou não) ser um estereótipo e inferir para alcançar o contraditório. A tendência dos ciclos de aquecimento desde que o mundo é mundo sugere apenas a probabilidade de acontecer de novo, mas não indica a inflexão da curva do tempo. Estar a favor da natureza não é ser verde por fora e vermelho por dentro, mesmo porque isto é para quem ainda acredita em ideologias, pois, todas já estão a sete palmos.

    Como você admitiu a possibilidade do leigo ter o direito de manifestar sua própria opinião “científica”, não vejo a hipótese de Gaia como algo que precise ser comprovado cientificamente, mas de uma lógica para ser sentida como uma versão coerente – e até filosófica – das relações do homem com a natureza e ela com ela mesma. Estar contra a poluição não é estar contra o capitalismo (e aí o estereótipo), mas contra o capitalismo selvagem do lucro imediatista acima de tudo. Isso nada tem a ver com capitalismo ou socialismo na pureza de suas concepções.

    Como você citou Kant e a metafísica, aí vai um trecho de seu livro: “Não devemos contar que o espírito humano renuncie um dia por completo às indagações metafísicas: seria o mesmo que aguardar que, em vez de respirar sempre um ar viciado, suspendêssemos um belo dia a respiração.”

    É uma opinião pessoal e pontual. Gosto de ler seus textos.

    Abs

    Zé Cláudio

    • Só uma observação, Zé Cláudio. Ele não é um filósofo “autodeclarado”. Pondé é MESMO um filósofo, não só porque é FORMADO em Filosofia pela USP, com mestrado, doutorado e pós-doutorado na área, mas porque PENSA e escreve como filósofo.

      Abraço,

      • Não questiono a capacidade de Pondé, Marcos. Autodeclarado está mais para Ghirardelli. Todos somos filósofos. Basta que pensemos e nos manifestemos de maneira ordenada. Apenas não gosto muito de inferências e generalizações. Abraço

  2. Não há nada mais medíocre que ganhar a vida propagando idiotices. Não há frustração maior do que não conseguir ser um pensador decente, consequentes e inteligente; não ser devidamente reconhecido como acadêmico por pura falta de talento para tal, e dedicar seu tempo a escrever idiotices que serão rapidamente superadas pelo tempo. Pior que acadêmico pouco respeitado no meio por quem realmente importa, é tentar virar escritor de best seller sobre imbecilidades. E viva a mediocridade paraíba-homoenrustida-judaico-frustrada-brasileira. É sempre bom provar do próprio remédio.

    • Desculpa, minha cara, mas DE ONDE vc tirou que o Pondé não é reconhecido no meio acadêmico? Quem está falando idiotices é você, caso não saiba? E BOTA IDIOTICE NISSO!

      O Pondé é reconhecido SIM SENHORA, com três livros cuja linguagem filosófica acadêmica provalvemente impede a maioria das pessoas de passar da primeira página! Que você não concorde com as ideias que ele expressa na Folha de São Paulo muito bem; que o considere machista, reacionário, que seja. Tem o direito de achar. Cada um pode ser ignorante e intolerante da maneira que bem entender desde que não infrinja nenhuma lei. Afinal, VIVEMOS NUMA DEMOCRACIA, não vivemos? Onde as pessoas tem o direito à liberdade de expressão, certo? OU NÃO? Será que estou errado e só pessoas com a sua mentalidade e suas ideias tem o direito de abrir a boca? Opa, talvez vc pense que aqui não seja uma democracia, será?

      Sim, você tem o direito de não gostar do que o Pondé escreve, assim como ele tem todo o direito de pensar o que quiser. Mas daí a deduzir que porque VOCÊ não gosta do que ele escreve, o filósofo não é reconhecido no meio acadêmico e é “mediocre” como tal, é MUITA PETULÂNCIA da sua parte, não acha não?

      Será que se vc pegasse os três primeiros livros dele para ler, conseguiria passar da orelha? Experimente. Vá ver se consegue entender o que ele escreveu para o meio filosófico e depois me diga se ainda tem a cara de pau de dizer que ele não tem nenhum talento. Provavelmente é você que tem, não é não, lindona? Aposto que você não consegue passar da primeira página do prefácio!!! O cara é um dos estudiosos em Filosofia da Religião em Dostoievsky mais reconhecidos fora e dentro do Brasil, só para citar uma coisa…

      Afe, TENHA A SANTA PACIÊNCIA! É muita babaquice e arrogância juntas para o meu gosto! Além de tudo, você é uma BAITA RACISTA PRECONCEITUOSA, hein sujeita? Coloca a religião e a naturalidade do cara tudo junto, em um “adjetivo” só, em um tom mais pejorativo impossível, a ainda se acha no direito de criticá-lo. Só rindo mesmo de tanta soberba junta em uma só mulher.

      Veja se olha no espelho, pessoa. Dê uma boa olhada nessa sua cara de preconceituosa babaquinha e pense duas vezes antes de criticar os outros. Ou aprenda a fazer críticas sem demonstrar o seu racismo, que é pra lá de feio, diga-se de passagem!

      • Querido Rodolfo,

        Logo dá pra ver que pra alguém achar que Pondé é respeitado e é um “grande” filósofo, só poderia não saber ler e entender ironias. Escrevi “paraíba-homoenrustido-judaico-frustrada-brasileiro” seguido de “É sempre bom provar do próprio remédio” para que limitados como vc (que lê Pondé achando que tá lendo o supra sumo da filosofia moderna – putz, coitado de nós!), e o próprio Pondé entendam pra onde podemos ir quando ele defende suas ideias de que o “politicamente incorreto” é necessário na sociedade. Bastou eu colocar meia dúzia de sugestões politicamente incorretas para que os seguidores limitados de Pondé viessem com 20 pedras na mão me acusar de racista, preconceituosa, etc.
        Sou mulher, não sou paulista (o que não me faz uma idiota que acha que fazer humor é agredir as pessoas, diferente de instituições e seres paulistanos como CQC, Pânico na TV, Mainardi, Reinaldo Azevedo e Pondé), sou doutora em filosofia por universidades conceituadíssimas, e acho que pensadores de verdade são filósofos como Emanuel Carneiro Leão, Marilena Chauí, independente de serem de esquerda ou direita (como vcs gostam de rotular), e me sinto ofendida como mulher, cidadã, ser humano, e, acima de tudo estudante de filosofia, quando leio ideias midiáticas (e não pensamentos profundos e realmente importantes para a humanidade), e imbecilidades propagadas por um cara que apenas quer garantir seus minutinhos de fama-estilo-BBB-revistaVEJA defendendo ideias “polêmicas” e pouco uteis à sociedade.
        Como eu disse antes, os 15 minutinhos ele vai garantir, e só. Babacas como Pondé escolhem os caminhos errados para depois serem esquecidos sem, sequer, serem execrados, pois a mediocridade deles não permite que a humanidade perca tempo em dar valor a qualquer ideia propagada por eles.
        O melhor que ele faz é conseguir uma coluninha em jornais e revistas cada vez mais ridicularizados, como Folha e Veja ( que, na boa, só paulista acredita serem sérios), e investir uns trocados em editoras de semi-prestígio para conseguir estar listados em colunas de best-sellers de jornais de fim de semana.
        Ah, e pra vc acreditar que um professor da FAAP (putz, FAAP!!!) é alguém a ser considerado pela academia, realmente estamos fudidos. Ainda bem que a mediocridade sua e de Pondé, não chegam aos grandes institutos de pensamento desse Brasil. Ficam apenas nas bancas de livrarias populares.
        Beijinhos

        • Puxa, vc é doutora por universidades “conceituadíssimas”? É mesmo???? Devem ser tão conceituadas que vc nem se deu ao trabalho de citar quais são, provavelmente deixando a cargo dos leitores deste blog advinharem quais sejam essas “universidades”, não é não? Diz aí, conte-nos quais são essas tão conceituadas fabriquetas de sábias e conceituadas doutoras como você… Conta aí, fiquei curiosíssimo! rsrsrs

          Meu bem, se vc é mesmo doutora em alguma coisa e tem calibre para discutir filosofia com o Pondé, escreva DIRETO PARA ELE!!! E discuta o que não te agrada de forma coerente, como um verdadeiro acadêmico ou acadêmica com compostura e o mínimo de educação filosófica faria. Não venha aqui neste blog, que o Pondé nem se dá ao trabalho de ler, para falar mal dele usando de xingamentos que acha que são “ironia”. Não perca seu tempo precioso “batendo boca” comigo nem com ninguém. Não vê que foi por isso que te provoquei? Para provar que você NÃO TEM calibre para ir direto na “fonte” e discutir com o homem. É só mais uma pessoa qualquer que se ofende com o que ele escreve, não tem como discutir à altura e resolve descontar sua raivinha em um lugar “inofensivo”, onde não terá que encarar o sujeito em um debate sério. Prefere perder seu tempo falando mal dele em um local sem menores consequências, onde o seu suposto conhecimento de “doutora” não será posto à prova. Se você não sabe, o que escreveu anteriormente está LOOOONGE de ser uma ironia. Você gastou um monte de linhas para xingar/criticar o Pondé, sem dizer ABSOLUTAMENTE NADA QUE PRESTA em relação aos assuntos que ele procura debater. Não vi um argumento sequer contra as ideias dele, só um monte de ofensas à pessoa para tentar desqualificá-lo com adjetivos pejorativos ao invés de criticar suas ideias com outras ideias.

          MUITO ENGRAÇADO você me acusar de te responder com pedras não mão, sendo que quem veio PRIMEIRO ao blog com vinte delas para xingar o Pondé foi você, não é? Entrar aqui e deixar um comentário extremamente tosco como o que deixou não é nada de mais, mas aí alguém resolve responder na mesma moeda e você fica toda ofendidinha (ai, pobrezinha dela!), achando que foi recebida com 20 pedras na mão! Se liga, mulher. Quem escreve ou fala o que quer, ouve e lê o que não quer. AZAR O SEU! Atacou o cara e quem quiser tem todo o direito de atacar você para defendê-lo, se for o caso. Não que ele precise da minha “defesa”, obviamente. Não precisa nem da minha nem da de ninguém. Só respondi porque não tenho saco para cretinices como a sua e para baboseiras sem fundamento. Quando a pessoa discute contra as ideias do Pondé com COMPETÊNCIA e conhecimento de causa, digamos assim, com erudição e postura, eu me calo. Mesmo que não concorde, não vou discutir se não tiver argumentos decentes para contra argumentar. Não foi este o seu caso.

          Se acha o que o Pondé escreve uma porcaria, ESCREVA DIRETAMENTE PARA ELE E DEBATA OS TEMAS, não fique gastando as teclinhas do seu computador para escrever impropérios em um blog que nem é dele e que o dito cujo não lê, pode ter certeza.

          Outro equívoco seu, fruto da banalidade de seu pensamento, além de suas ideias pré-concebidas e preconceituosas: não é porque a FAAP é considerada uma faculdade “de quem tem muito dinheiro”, que lá não tenham ótimos professores trabalhando; e que ela não forme gente super competente e capaz. Tenho vários amigos formados na FAAP que tinham grana para pagar, e outros tantos que estudaram lá com bolsa de estudos porque não tinham grana, e são TODOS excelentes profissionais, competentes, talentosos, estudiosos e muito inteligentes. Ao contrário do que você julga, o currículo da FAAP é bom, muito melhor do que a maioria das faculdades particulares. E antes que ache que digo isso porque me formei lá, já aviso que sou formado na USP, com mestrado e doutorado lá. Também tenho conhecidos que são professores da FAAP, gente de altíssimo nível (alguns verdadeiros eruditos), super competentes e formados nas melhores universidades brasileiras, como a USP, por exemplo, onde o Pondé se formou e fez mestrado e doutorado, indo depois terminar na SORBONNE e um pós-doc em Israel, se não me engano. Olha só quem é a preconceituosa aqui!!! Que coisa, que surpresa! Sou eu o preconceituoso? Será o Pondé? NÃOOOOO, é você mesma, benzinho! Como eu escrevi antes, OLHE-SE NO ESPELHO antes de abrir a boca. Está precisando fazer uma auto-análise mais decente, se é que já olhou para si mesma alguma vez na vida.

        • Só te digo mais uma coisa: os “quinze minutos de fama” do Pondé já estão durando cerca de uns SETE ANOS, mais ou menos. Para o seu governo, a Marilena Chaui é ótima professora, segundo me contaram alunos dela, conhece muito de filosofia, mas tem um PROCESSO NAS COSTAS POR PLÁGIO e tudo que é professor conceituado da Europa, ou pelo menos na França (Sorbonne, por exemplo), sabe disso. Você sabia? Tem trechos inteiros de um livro dela que são considerados plagiados de outro pensador. Se isso for mesmo verdade, e parece que é, segundo me informou um professor da Sorbonne que conheço, ela pode ter um “nome” importante aqui no Brasil, mas lá fora é muito mais conhecida por esse plágio do que pelo seu trabalho filosófico. Outros professores que nem tem tanto destaque (e babação de ovo em cima) quanto ela são BEM MAIS respeitados por seu trabalho filosófico na França do que a Profa. Dra. Chaui, ENTRE ELES O PONDÉ, que é extremamente respeitado por seu profundo trabalho sobre Dostoievsky (que ficou claríssimo que vc não conhece) e suas pesquisas sobre Blaise Pascal. Mas você não sabe disso, não é, queridinha? CLARO QUE NÃO! Se soubesse, não perdia seu tempo escrevendo bobagens. Pode espernear de raiva o quanto quiser, xingar o Pondé com todos os palavrões e adjetivos preconceituosos que conseguir reunir na mesma frase, E NÃO CONSEGUIRÁ ALTERAR UMA VÍRGULA SEQUER DESSA CONDIÇÃO. O Pondé tem o reconhecimento que tem, indepentente do quanto você diga o contrário ou o xingue. Por isso, quanto mais escreve, mais patética parece… E vejam só que bonito isso, a Marilena é conhecida como plagiadora fora do Brasil! Será que ela será mesmo tão lembrada como sendo uma “grande filósofa” no futuro? Vamos ver… O tempo dirá. Já o Pondé, até onde eu sei, nunca plagiou ninguém em seus livros, nem nos acadêmicos nem nos “populares”.

          E quem disse que as pessoas “lembradas” são realmente as melhores ou as que tinham mais conhecimento quando vivas? Mario Ferreira dos Santos era um filósofo EXCEPCIONAL, provavelmente inigualado até hoje no Brasil. Ninguém conhecia Platão como ele!!! A Marilena Chaui é boa, não vou dizer o contrário, apesar do plágio e tal, MAS NÃO CHEGA NA SOLA DO SAPATO de um Mário Ferreira dos Santos (que você nem citou, diga-se de passagem). Aliás, conhece ele? Já ouviu falar, pelo menos?

          E me diga, por acaso ele é famoso? É tão lembrado assim no Brasil? Vemos os livros dele vendendo aos montes? Ele é ensinado em todas as escolas de filosofia deste país? NÃAAAAOOOOOOOOO. Ou seja, seu argumento não quer dizer nada, benzinho. Não prova coisa nenhuma.

          Faça um favor a você mesma, jogue esse argumento babaca e pobre no lixo e vá estudar um pouco mais da história da Filosofia no Brasil que – TE GARANTO! – você ganha muito mais e não desperdiça tanto o seu tempinho precioso fazendo papel de boba, doutorazinha…

          Au revoir, mademoiselle.

        • Um bando de idiotas batendo boca com fantasmas virtuais. Vão procurar o que fazer, Rodolfo, Francine, Pathfinder, se é que vc tem o nome que dizem ter. Vão ler o globo.com e deixem a filosofia em paz.

        • Houve um equívoco na liberação dos comentários. Os dois anteriores eram do Rodolfo F., mas quando estávamos fazendo a manutenção do blog, alteramos sem querer a ID desses comentários e saiu com o NOSSO nome. Esses comentários específicos não são de nenhum membro de nossa equipe. Apenas publicamos os textos do Pondé. Quando um de nós quer discutir com alguém, usa uma outra identificação, não o nome da equipe.

          SENTIMOS MUITO, RODOLFO, JÁ CORRIGIMOS!

          Quanto ao bate-boca, Rodrigo, enquanto não houver baixaria, eles podem discutir o quanto quiserem. Com ou sem filosofia.

          Já fomos acusados de não deixar as pessoas se pronunciarem neste blog. Nunca foi o caso, apenas bloqueávamos comentários que ultrapassavam os limites da “boa educação virtual” (de acordo com os nossos critérios, claro), e continuaremos fazendo isso. Mas não bloqueamos discussões, mesmo que não tenham conteúdo efetivamente teórico, seja filosófico, político ou de outra natureza. Ainda assim, agora recebemos reclamações por que as discussões aparecem!

          Como pode constatar, não é possível satisfazer todo mundo. Logo, manteremos a abertura para que discutam, ainda que isso desagrade outras pessoas. Basta que os incomodados não leiam os comentários, simples assim. Não vamos passar a bloqueá-los, sinto muito, desde que se mantenham dentro de um limite razóavel de civilidade virtual.

          E, obviamente, não são dois fantasmas, ou não estariam gastando tempo escrevendo comentários.

          Atenciosamente, Eq. Pathfinder

          PS: O nome da equipe que cuida deste blog é Pathfinder desde que o blog foi criado, Rodrigo. Não somos fantasmas, somos todos pessoas reais, trabalhando e vivendo no mundo como você. O conteúdo deste blog não é mantido por um programa de computador, mas por pessoas. Quanto aos leitores que se pronunciam, tem liberdade para cadastrarem seus comentários com o nome que bem entenderem.

        • Se torna difícil acreditar numa doutora que quando escreve, foge do tema completamente, adquirindo uma única intenção, ofender o pondé, afinal sabemos todos nós que temos na internet esquerdistas que adoram levar debates a mais baixa categoria para tentar chamar a atenção para si e não para os artigos, tática normalmente utilizada por crianças de 12 anos de idade.
          Francine, Pondé critica esse modelo de esquerdismo verde, sabe porque? porque cuidar da natureza é algo já feito por todos nós, quando não jogamos lixo no chão, quando cuidamos da arvorezinha no quintal, quando estudamos o meioambiente na escola, quando dividimos o lixo por material reciclavel, quando temos um mínimo de educação, por isso que toda essa “onda verde” não passa de picaretagem. A mesma picaretagem que as escolas estão criando, a de que as escolas devem ser mais atrativas para que os alunos estudem mais, na verdade o aluno tem que estudar e ir muito bem pra ter um bom futuro.

  3. Francine Machado,

    Se voce nao gosta de nordestinos nem de judeus, lembre-se que expressar tais ideias pode lhe custar um processo judicial. A ultima vez que uma pessoa fez isso virou judas em sabado de aleluia. Tenha pena de sua reputacao, querida, nao fara nada bem à sua pessoa, carreira e imagem ser exposta ao ridiculo de ser julgada por alguma tolice racista que saiu da sua cabecinha iluminada…

    Carlos, nordestino.

  4. Acredito que carros poluem o ar das cidades. Fato.

  5. Beleza, não tenho muito o que dizer no momento, apenas responder a sua pergunta no final do texto. As grandes multinacionais que estão por trás das principais grandes economias do mundo. E nós, continuamos engolindo tudo que nos oferecem sem ao menos distiguimos o que é amargo do que é doce porque o nosso paladar não funciona, e nisto, estão incluidos os “intelectuais” com seus discursos “humanistas”, leitores, na maioria, de orelhas de livro e de artigos que se limitam a reproduzir as ideias dos outros.

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: