Pondé no FRONTEIRAS DO PENSAMENTO

Pondé foi o conferencista do Fronteiras do Pensamento Porto Alegre 2011 na noite de 11 de julho. O filósofo brasileiro abordou a questão “Seria o pessimismo mais inteligente?”




Confira um excerto da fala de Luiz Felipe Pondé

Por que o pessimismo seria mais inteligente? Na realidade, não acho que o pessimismo é maisinteligente. Acredito que o pessimismo como dúvida com relação às festas que criamos porconta do nosso sucesso funciona como uma espécie de controle de qualidade. Ele funcionacomo uma contínua avaliação do que poderíamos chamar de uma dimensão de sombra de tudoque o ser humano faz.

Pessimismo e otimismo são atitudes filosoficamente necessárias o tempo todo quandoestamos analisando problemas. Principalmente perante a força, a fúria e a capacidade criativaque a modernidade tem em termos técnicos e que por si só traz uma hibris descontrolada.

Semana passada, conversei com uma jornalista da revista Elle sobre essa nova moda do chamado Unplugged Day, pessoas que escolhem um dia da semana para se desconectarem do mundo da comunicação, que é absolutamente necessário para girar a vida hoje em dia. Quem, de vez em quando, não percebe como acabamos presos nas ferramentas que temos para criarnosso próprio sucesso?

É quando percebemos isso que temos uma certa crise de pessimismo. Isso os filósofos já previram há dois mil e quinhentos anos. É a ideia de que pessoas muito conscientes do valor doque elas fazem podem facilmente se tornar pessoas extremamente perigosas, justamente porque crêem absolutamente nelas mesmas. E uma pessoa que acredita plenamente nela mesma é sempre um problema. Uma certa dúvida consigo mesmo me parece fundamental paranão virarmos monstros.

O pessimismo na filosofia e nas ciências humanas, no momento contemporâneo, tem umafunção de vigília, de um certo cuidado, porque quando o ser humano fica excessivamente apaixonado por si mesmo, apaixonado por suas potências, por suas capacidades, se torna perigoso.

É como a experiência moderna, que encerra em si mesmo e simultaneamente o avanço e o risco de sua técnica. Não significa abrir mão dos avanços técnicos. Me parece filosoficamenteingênuo e infantil achar que o debate se trata de “ser contra a modernidade” ou “ser a favor damodernidade”. Não se trata da ciência, trata-se do uso dela. A ciência é um método. Oproblema é que ela produz resultados de uma força experimental muito grande. Quando você associa ciência a intenções políticas, a intenções de descobrir como o ser humano deve ser, énecessário operar nesse equilíbrio que o senso comum chama de pessimismo e otimismo.


FONTE: Fronteiras do Pensamento 2011


–> Resumo da conferência (oferecido pela Unimed Porto Alegre)

–> Podcast Fronteiras: ouça a resposta de Pondé no momento pós-conferência: “Qual o grande problema do pensamento politicamente correto?”

–> Pondé discute os papéis de fé e ciência











Anúncios

~ por Pathfinder em 05/08/2011.

6 Respostas to “Pondé no FRONTEIRAS DO PENSAMENTO”

  1. …Prá que colocar,….” resumo “,…. de palestra..??

    …Não põe NADA que fica mais HONESTO.

    ..Ainda com este monte de VINHETAS, só pra encher o saco.

    ..Fora a ” popagranda ” dessas “empresas” e seus donos.

    …Tenha a santa paciência, heim ?

    …Usar um filósofo do gabarito do Pondé, prá promover máfias disfarsadas
    …de empresas,
    … JÁ CHEGA A CPFL.

    • O Pondé não tem nada a ver com essas vinhetas (até onde sabemos), assim como NÃO TEM NADA A VER COM O NOSSO BLOG. Já cansamos de escrever isso aqui. Ele não fala conosco, não nos envia nenhum conteúdo, não nos pede nada!!! Tudo o que publicamos é escolha nossa, baseado no que encontramos distribuído pela internet. O único movimento de Pondé em nossa direção foi para dizer que gostou do blog, apenas isso.

      As vinhetas foram produzidas pelo grupo que organiza o Fronteiras do Pensamento. Só colocamos aqui porque são os únicos vídeos disponíveis dessa palestra, os únicos liberados pelos organizadores no Youtube. Não há nenhum intenção de fazer propaganda de ninguém neste blog, a não ser divulgar os textos do próprio Pondé.

      Nenhuma das pessoas que organizam o blog esteve nessa palestra, logo não temos acesso ao conteúdo completo, exceto ao que foi disponibilizado pelo Fronteiras do Pensamento, como aparece aqui. Apenas copiamos o conteúdo e NÃO RECEBEMOS UM TOSTÃO SEQUER por qualquer propaganda que aparece nos videos. Nosso interesse foi mostrar o Pondé, apenas isso.

      Não temos patrocinadores, meu caro. Se vc se ofendeu tanto, não leia mais nada que aparece no blog. Simples assim.

      Equipe Pathfinder

  2. Acredito que há uma natureza fisiológica muito forte para isso que o Pondé diz. Não há como negar que existem pessoas “naturalmente” otimistas ou pessimistas, sem que nada de marcante tenha acontecido em suas vidas. Elas simplesmente nascem assim. A questão é que, na sociedade de hoje, predominantemente no mundo ocidental, o otimismo é supervalorizado. Bastar ver o que prega a horrenda psicologia empresarial de recursos humanos. Os “pró-ativos” (toc-toc-toc) sempre têm mais chances a uma vaga no mercado de trabalho. Já houve épocas em que a atitude contemplativa era muito mais valorizada e a ganância do homem nos seus negócios diários eram tidos como de muito mal gosto, no máximo um mal necessário. Hoje, esse tipo de comportamente é tido como o ideal. Nos tornamos viciados na euforia do cotidiano e na ideia de “progredir” e “vencer”. Mas a coisa está para mudar. Esse barulho todo sobre uma possível recessão mundial não é apenas boato. A todo período de extrema euforia, segue-se um período de melancolia.
    Será o fim do mundo como o conhecemos. E eu me sinto bem com isso.

    • Excelente comentário! Muito obrigado.

      Abraço, Equipe Pathfinder

  3. ….A equipe “Pathifinder “.
    ….
    ….Não disse que vocês “ganham” algum dinheiro por produzir este site,
    ….
    ….ou ainda, da “popagranda” que está na palestra do Pondé.

    …Sei também que o Pondé nem entra aqui.

    …A minha crítica foi para este ” fronteiras do pensamento ” e em parte prá

    …vocês que poderiam ter editado os vídeos, pelo menos tirando as vinhetas
    … e ” popagrãndas “.

    …Pois como estão disponibilizados só um ” FLASH ” das palestras que já é

    ….um absurdo,

    ….ter que aguentar as FIRULAS MARKETEIRAS da
    …entidade,… não dá, né.

    …Prá um site que tem um conteúdo FILOSÓFICO de alto nível
    …é uma afronta aos leitores

    …por,…… ” VIDEO CLIP ” do PONDÉ.

    …Vocês não acham ?

    …E se vocês não sabem ouvir uma crítica, então fechem o site
    …e vão trabalhar na,

    …PHOLHA de sunpaulo,

    …ou qualquer outro órgão de imprensa.

    …Fábio Ruiz.

    • Não temos tempo para editar vídeos e nem autorização para mexer no conteúdo que pertence a terceiros, como é o caso.

      Este blog é uma ferramenta para centralizar o material disponível na internet sobre o Pondé, não um “local de conteúdo filósofico de alto nível”. Nunca pretendemos uma classificação como essa, simplesmente porque seria equivocada. Há neste blog desde material acadêmico escrito por Pondé (certamente de alto nível) até artigos de jornal que não são necessariamente filosóficos. Nunca ambicionamos esse status, uma vez que há outros locais mais adequados na internet para isso, como o site das melhores universidades americanas, por exemplo.

      Aceitamos críticas sem problema algum, como podem atestar outros leitores que já nos criticaram, mas o seu comentário foi uma colocação INDEVIDA que merecia esclarecimento. O blog é nosso e postamos nele o que quisermos e bem entendermos. Não somos nós que temos de mudar de atividade para satisfazer um único leitor. O leitor insatisfeito é que deve procurar outra fonte de informação, se assim melhor lhe aprouver. Temos ao menos 200 leitores satisfeitos e nenhum deles reclamou dos vídeos. OU nos endereçou um comentário no mesmo tom que o seu. Se não se recorda do que escreveu, sugerimos que releia o comentário anterior. Caso outros reclamassem, esclareceríamos da mesma forma que fizemos a você.

      Além disso, apesar do desconforto das propagandas, instituições que se prestam a organizar eventos desse porte necessitam de patrocínio. E o patrocínio tem de aparecer em algum lugar. Na verdade, tem de aparecer em todo e qualquer material que veicule o evento. Isso é procedimento básico de QUALQUER atividade desse tipo, inclusive as de cunho intelectual. Se você não sabe disso, meu caro, sugiro que se informe mais a respeito.

      Portanto, repetimos a sugestão: se está insatisfeito, procure outra fonte de leitura. As justificativas que demos são mais do que suficientes para esclarecer como este blog funciona E CONTINUARÁ FUNCIONANDO.

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: