Aviso sobre mudança de conteúdo no blog


Gostaríamos de informar aos leitores deste blog que TODOS OS ARTIGOS de Luiz Felipe Pondé para o jornal paulista — do qual é colunista semanal — foram removidos deste blog por EXIGÊNCIA EXPLÍCITA da empresa dona do jornal. Fomos ameaçados por ela com uma notificação extra-judicial, assim como tivemos TODO O CONTEÚDO deste e de outros blogs ligados à nossa conta suspensos por toda esta semana, correndo o risco de perder tudo — inclusive aquilo que é propriedade intelectual nossa — devido ao bloqueio da WordPress, que tornou nossa conta inteiramente  inacessível.

Devido à essa exigência do jornal e aos problemas causados com o bloqueio da WordPress (pela interferência do jornal junto a eles), também decidimos remover todos os podcasts e qualquer link para páginas do site do jornal, assim como todas as referências a seu nome, inclusive.

Gostaríamos de esclarecer que a criação deste blog, assim como sua manutenção, foi sempre realizada em nossas horas vagas, sem que recebessemos nenhum tipo de remuneração por isso. Nunca esperamos e nem recebemos patrocínio (financeiro ou qualquer outro) para essa atividade (de nenhuma empresa, MUITO MENOS do filósofo Luiz Felipe Pondé) e não recebemos NENHUMA GRATIFICACÃO para mantê-lo no ar. Trocamos poucos emails com o filósofo a respeito do blog, mas foi só isso.

Nosso objetivo com a criação do blog foi UNICAMENTE reunir os textos de Pondé em único local, para facilitar seu acesso e para prestigiar o trabalho intelectual do filósofo, portanto nunca houve nenhum FIM LUCRATIVO em nossa empreitada. Fizemos uma série de “propagandas gratuitas” de outros sites, incluindo sites de empresas de grande porte — essas sim empresas que lucram com os textos ou outro material que publicam de Pondé — e jamais sequer pensamos em pedir nada em troca por isso.

Infelizmente, nosso trabalho invadiu inadvertidamente os direitos legais do jornal e, além de tudo, foi mal interpretado por essa empresa — a mais mencionada no blog até bem pouco tempo,  diga-se de passagem, com links que direcionavam os leitores para uma série de páginas em seu jornal online — e daí a necessidade de remoção do material que é de sua “propriedade”. Considerando que sempre fizemos esse trabalho DE GRAÇA, e nunca tivemos a intenção de fazer propaganda de nenhuma empresa, ficamos bastante aborrecidos com o ocorrido, logicamente. A única “propaganda” que alegamos ter feito, por admiração apenas, é a de Luiz Felipe Pondé. Aliás, algo que jamais foi solicitado por ele, que fique bem claro, pois certamente Pondé não precisa em nada de nossa “propaganda”.

Uma vez esclarecido esse ocorrido, gostariamos de pedir que, se alguma outra instituição ou grupo se considerar proprietário intelectual de um texto de Pondé aqui publicado, e ficar insatisfeito(a) que o disponibilizamos em nosso blog, por favor, leve em conta as cosiderações acima e nos envie um email (não há necessidade de ameaças com notificações extra-judiciais como as do referido jornal) e retiraremos o material do ar. Gostariamos de avisar, no entanto, que este blog permanecerá online por apenas poucos dias, a partir de hoje, e depois disso será definitivamente encerrado. Não sabemos ainda se reconstruiremos esse conteúdo em outro local. Temos de pensar a respeito, considerando o desgaste provocado pelo ocorrido.


Esperamos que, com a situação mencionada acima, não tenhamos causado nenhum problema ao filósofo Luiz Felipe Pondé.

Agradecemos muito a todas as pessoas que visitaram periodicamente — ou até diariamente — nosso blog  e que, dessa maneira, estavam prestigiando nosso trabalho e, principalmente, o trabalho de Pondé. Aos que só nos visitaram para conferir os artigos de um pensador com o qual não concordam ou não apreciam, também agradecemos.

Por fim, agradecemos aos poucos leitores que nos enviaram hoje seu apoio!

 

Muito obrigado,

Equipe Pathfinder

Anúncios

~ por Pathfinder em 24/03/2011.

18 Respostas to “Aviso sobre mudança de conteúdo no blog”

  1. Tenho interesse em saber dos termos da notificação porque os artigos do Pondé estão disseminados por toda a internet. Por que vocês foram escolhidos? Agradeço uma resposta. Abs.

    • Foi isso que alegamos à empresa dona do jornal, mas não recebemos nenhuma resposta deles, a não ser um email absolutamente impessoal de uma mulher que se apresentava como advogada deles, com a notificação anexada.

      Não sabemos realmente a razão, mas julgamos que tenha a ver com a quantidade de acessos ao nosso blog, que cresceu consideravelmente nos últimos meses. Nosso blog existe DESDE janeiro 2010 e vinhamos postando os artigos desde aquela época. Por que só agora essa notificação e APENAS ao nosso blog? Uma outra “coincidência” estranha é que o blog foi bloqueado e recebemos a tal notificação APENAS DOIS DIAS após termos criado um perfil na mais famosa rede social do momento, o que indica seriamente o tal “policiamento” digital que a maioria das empresas vem fazendo nas redes sociais. Não estamos implicando que essa rede social tenha responsabilidade nisso, mas que as empresas de todo o mundo vistoriam o que as pessoas andam dizendo delas em seus perfis.

      Com essa constatação, sugerimos a todos que, em primeiro lugar, tomem muito cuidado com o que dizem nessas redes sociais. A liberdade de expressão é uma ilusão. Tal coisa realmente não existe. Segundo, se eles monitoram as redes – as empresas, queremos dizer – significa que a transmissão viral de informações os preocupa, o que pode ser usado A FAVOR dos usuários enquanto consumidores dos serviços ou produtos de todas as empresas. Pelo menos enquanto essa “falsa liberdade” não se transformar numa censura aberta e despudorada do que cada um comenta nessas redes. Enquanto isso não acontece, os usuários podem usar das redes sociais para reclamar de qualquer produto ou serviço que eles considerem ter problemas ou que mereçam DENÚNCIA (o tal jornal está incluido nisso). No momento em que as pessoas começarem a sofrer boicote (como nós sofremos agora) pelo que reclamam nas redes sociais, podem ter certeza que a tal falsa “liberdade de expressão” acabou de desaparecer, e o policiamento e censura se tornaram descarados.

      Qto ao ocorrido, deduzimos apenas que seja por essa razão mencionada acima, pelo aumento de acessos. Todavia, há um outro site que conhecemos muito bem e que posta, TODOS OS DIAS, muitos dos principais artigos desse jornal (de diversos cadernos). Desconhecemos porque o dono desse blog tem o tal privilégio, mas sabemos que ele não teve o mesmo problema que nós, já que seu blog continua funcionando NORMALMENTE, assim como todos os outros que postam os artigos de Pondé. Pelo menos até agora! Pode ser que isso mude e o tal jornal resolva bloqueá-los também…

      Por enquanto, aparentemente, fomos os ÚNICOS interpelados e só podemos imaginar que estavamos chamando demais a atenção para o gosto deles e de todos que tem o tal privilégio que nós não temos… Provavelmente, estavamos desviando a atenção de seus blogs e do site do jornal (nesse caso, até entendemos a preocupação da empresa, que é, sob certo aspecto, justificada… porém estupida sobre outros aspectos, sinceramente) e isso deve ter irritado algumas pessoas (dentro e fora da tal empresa)! E não descartamos desse quadro pessoas que são fortes “opositores” de Pondé e talvez possuam poder o suficiente para boicotá-lo através de quem não tem como se defender (nosso caso, claro)… Parece “teoria da conspiração”? Sim parece, mas já vimos o bastante em nossas vidas profissionais para sabermos que isso tudo é completamente possível e nada absurdo…

  2. Vcs estão de parabéns pelo o que o site foi durante seu período de existência! Uma pena muito grande ter de encerrar as atividades. Perdemos nós, leitores, e perde também Pondé, porque para aqueles que não podem assinar a Folha, ele perde um grande instrumento de divulgação de suas ótimas ideias.

    • Pode ter certeza que também sentimos muito com tudo isso! E por todas as explicações que demos, sabemos que fomos os únicos “atacados” até agora pelo menos.

  3. Parabéns pelo trabalho que realizaram. Esta é uma grande perda. Isso ocorreu também, recentemente, com um blog que postava os textos do Contardo Calligaris, publicados no mesmo jornal que os de Pondé. A “solução” encontrada pelo proprietário foi encaminhar o texto semanal por e-mail aos leitores que pediram para recebê-lo. Vcs não poderiam adotar essa ideia?

    Grande abraço e obrigada!

    • Já recebemos essa sugestão, cara Laura. Estamos pensando a respeito. De qualquer forma, a possibilidade de movermos o blog de “lugar”, pelo menos, é grande. Mas se o fizermos, todos receberão um aviso com o novo site. Abraço,

  4. Pois é galera, essa história de as empresas policiarem sites de relacionamento é real mesmo. Eu sei de algumas pessoas que perderam emprego ou não passaram em entrevista porquê faziam parte de alguma comunidade do tipo “Odeio segunda-feira” ou “Meu chefe é um mala”.
    Be careful, Big Brother is watching you!

    • Antes de procurar emprego, melhor desativar o perfil… e depois manter-se “low profile’ … rsrs… Estou rindo, mas isso é sério!

  5. O grande problema é a maldita psicologia de RH e sua presunção de “transformar” a vida dos empregados de uma empresa. O começo mais sinistro é chamá-los de “colaboradores”, eufemismo pra lá de manjado. A maioria das pessoas normais odeia segundas-feiras e odeia seus chefes e não há nada de errado ou “improdutivo” nisto. Aliás, a própria ideia de tentar forçar (essa é a palavra) os empregados (idem) a ser felizes não passa do mais puro fascismo disfarçado de boas intenções. É uma verdadeira desgraça chamada “gerenciamento de recursos humanos”, cuja lema é “ser feliz para ser mais produtivo”, como se não existissem escritores, poetas e mesmo grandes empreendedores cuja maior inspiração veio justamente do desconforto e do mais puro desespero ante a inssolubilidade da vida.
    Esse é o admirável mundo novo que se abre para nós. E depois ainda ficam assustadinhos com o aumento da taxa de suicídios. Eu sempre achei a taxa de suicídios, em qualquer época e qualquer lugar, extremamente baixa. O mais impressionante é que todos continuem a teimar em continuar vivos.
    E, não, não estou pensando em me matar. E, sim, estou procurando um emprego de merda para ganhar um salário de merda para que eu possa sobreviver neste mundo de merda. E, acreditem, isso é como todo mundo se sente, o tempo todo, mas não tem coragem de admitir. E não há psicologia de recursos humanos no mundo que vai conseguir mudar isso.

    • Os funcionários de RH são todos uns robozinhos programados para funcionar dentro das regras da empresa… pobres coitados!

  6. Uma pena! Mais uma vergonha na coleção da Folha. Deixo meu agradecimento e apoio ao blog que leio desde o início.

  7. Depois, quando eu falei de algumas coisas aqui, e citei a Escola de Frankfurt, e disseram para mim “que ninguém precisa de Adorno e Horkheimer para ver que há poderes atuando em um discurso, e blá blá blá”, digo agora que precisamos desses caras mais do que nunca, que o período em que vivemos nada mais é do que uma exacerbação de tudo o que foi a modernidade, de seus poderes e domínios.

    Quem quiser que use óculos e delire. Bem vindo à Matrix!

  8. Era isso que temia desde que o blog saiu do ar. Uma pena… É o blog de maior bom gosto que divulga o trabalho do Pondé.
    Aguardamos ansiosamente por notícias sobre a continuidade do trabalho.
    Parabéns o obrigada pelo blog.

    • Agradecemos pelo elogio, Andressa. O bom gosto deve-se ao trabalho de nossos colaboradores que são designers e diretores de arte. Tentamos, desde o início, fazer um trabalho sério. Infelizmente, infringimos inadvertidamente direitos que o jornal resolveu reivindicar depois de 1 ano. Nada podemos fazer quanto a isso. Mas estamos pensando em manter o trabalho, em manter um local de centralização de materiais sobre Pondé. Agora, com mais cuidado para não violarmos nenhum direito, pedindo autorização aos que publicam esses materiais e consultando regularmente Pondé a respeito.

      Só não sabemos ainda se manteremos o trabalho AQUI, no WordPress (considerando os problemas que tivemos com eles e a falta de consideração com que nos trataram), ou se o transportaremos para outro provedor. De qq forma, todos serão informados a respeito com antecedência.

      Muito obrigado pelo apoio.

  9. Olá,
    É possível vocês descreverem exatamente o que aconteceu entre vocês e a WordPress?
    Isso não ficou muito claro no seu texto, primeiro você disse que a conta estava bloqueada, depois você disse que excluiu determinado conteúdo, o que me leva a crer que nesse momento a conta já estaria desbloqueada. Nesse caso, como você a desbloqueou? Mandou email para a WordPress, se comprometendo a excluir o conteúdo “ofensivo”?
    Se fosse possível, vocês poderiam escrever algo como uma lista de passos do que aconteceu para que outros usuários WordPress possam aprender com essa experiência e reduzirem os danos ao máximo (perda completa do conteúdo e da conta)
    Agradeço antecipadamente.

    • Olá, Gustavo.

      Isso aconteceu há bastante tempo, mais de 1 ano e meio atrás. O que houve foi que, naquela época, ainda não conheciamos bem as ferramentas de divulgação de conteúdo na internet e, por conta disso, cometemos um pequeno erro. Junto disso, o jornal que publica os artigos de Pondé às segundas-feiras resolveu nos ameaçar com um processo caso não removessemos todos os artigos que o filósofo escrevia para um de seus cadernos semanalmente. Na época, esses artigos ficavam bloqueados no site do jornal e somente os assinantes podiam ler. Hoje não é mais assim, provavelmente porque o jornal percebeu que tanta gente publicava esses artigos que não era viável processar todo mundo. Além disso, os advogados do jornal precisariam conseguir que as empresas que “armazenam” os blogs, como a WordPress, quebrassem o sigilo de seus usuários e divulgassem os endereços IP dessas pessoas a fim de que o jornal descobrisse quem são os verdadeiros proprietários dos blogs, as pessoas reais por trás desses conteúdos, a fim de poderem processá-las judicialmente. Era o que eles teriam de fazer para poder efetivamente nos processar. No nosso caso, somos diversas pessoas publicando de vários lugares do mundo, ou seja, vários IPs para começar (embora eles pudessem optar por usar apenas o da pessoa que criou esta conta)… Percebe como isso seria um tantinho complicado? Embora a empresa dona do jornal seja poderosa, imagino que isso colocaria um sério problema para outras empresas como a WORDPRESS: a impossibilidade de segurança dos dados de seus usuários, falta de sigilo, etc. Ao menos, foi isso que imaginamos na época…

      Fora que talvez seja meio complicado tentar controlar a divulgação desse conteúdo virtualmente. Só sabemos que eles resolveram deixá-lo aberto no próprio portal. Essa é a razão porque passamos a deixar os artigos novamente abertos em nosso blog este ano. Antes havia uma senha para leitura, disponível apenas para os seguidores do blog, por conta das ameaças que recebemos do jornal. Desativamos as senhas, mas ainda não colocamos todo o conteúdo que tinhamos novamente disponível. Só faremos isso depois que atualizarmos todas as FONTES de origem, colocando também os links para o jornal.

      Um detalhe é que, quando o problema aconteceu, tentamos explicar para o jornal que havia no mínimo uns 5 blogs que publicavam os textos semanalmente e era de lá que copiávamos. Mas eles nem se dignaram a responder. Enviaram uma notificação para o WordPress pedindo que tomassem uma providência. Acontece que nosso blog não tem apenas textos desse jornal; temos também uma série de outros artigos e textos do Pondé, informações sobre ele, sobre os seus livros, videos, entrevistas, etc. A equipe de administração do WordPress não levou isso em conta e, ao invés de nos escrever pedindo que removessemos apenas o conteúdo relativo ao jornal, simplesmente bloqueou o blog inteiro. Na verdade foi pior! Eles bloquearam TODA A NOSSA CONTA e, consequentemente, todos os outros blogs associados a ela, blogs que são mantidos por membros de nossa equipe, com conteúdos particulares em nada relacionados ao Pondé ou ao jornal. Ou seja, na pressa de nos prejudicar e bloquear, sem levar em consideração as outras fontes, ou outros blogs, que também publicavam os txts de Pondé, o jornal FSP simplesmente prejudicou todo o nosso trabalho, com a colaboração do WordPress que, sem procurar averiguar a situação conosco, bloqueou todo a nossa conta sem qualquer aviso prévio!!!

      Tivemos um trabalho danado para fazê-los entender o que havia acontecido, que eles cometeram um erro, e isso nos aborreceu tanto que quase fechamos o blog, a conta e tudo o mais. Na verdade, também tinhamos uma pequena responsabilidade nesse problema todo, mas só fomos perceber BEM MAIS TARDE, quando um funcionário do WordPress resolveu nos explicar sobre os tais esquemas para colocar um site na frente dos outros em ferramentas de busca como o Google.

      Quando começamos a colocar TAGS nos posts dos artigos, um deles era o nome do jornal. Com isso, muitas vezes o link com o nosso blog aparecia no Google ANTES do link para o jornal. Não sabiamos o que isso acarretaria, pois não tinhamos conhecimento de como o google seleciona a disposição do conteúdo. Só depois de procurarmos referências a respeito é que entendemos nosso equivoco. Provavelmente foi isso (imaginamos) que acionou o jornal para nos importunar. Perguntamos às advogadas (as duas mulheres que nos enviaram um email) dessa empresa se também estavam ameaçando os outros blogs, mas elas não responderam. Ao que tudo indica, fomos os únicos alvos desse ataque. Sendo assim, removemos tudo e passamos a publicar os artigos protegidos por senha. Mas isso só aconteceu depois de várias dezenas de emails trocados com os responsáveis do WordPress. Foi extremamente desagradável.

      Nossa dica é que você nunca publique textos que não são seus sem informar a fonte, seja ela digital ou não. Se for um livro, coloque sempre a referência completa (nome, autor, editora, se possível a página); se for uma fonte digital, nunca esqueça o link para o site ou blog de onde copiou o conteúdo. Coloque o nome dos autores também, sempre que possível; quando não souber, deixe isso indicado.

      O mesmo vale para todas as imagens que não sejam criadas ou fotografadas por você. Se buscar imagens no Google, aproveite e guarde a URL (link da imagem) para colocar no seu blog. Se criar imagens a partir de outras que encontrou na internet, deixe isso explícito também (em legenda abaixo da imagem).

      E CUIDADO com os tags. Eles podem ser os responsáveis por problemas semelhantes ao que tivemos. Não use nome de empresas que tenham sites de conteúdo, como esse jornal, EM HIPOTESE ALGUMA. Use palavras genéricas ou nomes de autores, mas nunca o nome de empresas.

      Esperamos que essas informações possam ajudá-lo.

      Abraço, Equipe Pathfinder

      • Obrigado pelas dicas.
        Entretanto, ainda insisto nesse ponto da relação entre a WordPress e supostos infratores de direitos autorais: pelo que entendi, a WordPress foi extremamente obediente ao pedido judicial dos tais advogados, cumprindo prestativamente o solicitado, e até mais (cancelando a conta).
        Se vocês pudessem detalhar um pouco mais, em termos bem objetivos, os passos dados para reabilitar a conta, os argumentos usados por vocês, etc, seria fantástico, por mais dinâmicos que tais passos possam ser (acabou por funcionar com vocês assim e assado, mas nada garante que em outra situação e noutro momento isso vá funcionar, pela própria natureza extremamente dinâmica dessas empresas e do sistema)
        Por fim, não ficou claro, sobretudo, que argumento usado por vocês conseguiu se sobrepor à força de um mandado judicial. Detalhar essa argumentação será, com certeza, útil.

        • Gustavo,

          Não houve mandado judicial. A coisa não chegou à justiça, mesmo porque, para isso, seria um tanto complicado em relação à questão de privacidade que é conferida por essas empresas aos “donos” dos blogs. Faz parte do próprio serviço que eles prestam. Por isso mesmo eles foram tão “prestativos” com os advogados do jornal e bloquearam a nossa conta. É menos complicado legalmente bloquear o conteúdo e averiguar depois, do que enfrentar a questão judicial.

          Eles simplesmente alegaram que estavámos praticando algo cujo nome não me lembro mais, um esquema que serve para colocar um site ou blog na frente dos outros em ferramentas de pesquisa como o Google. Ou seja, resumidamente, com o uso de determinados tags, este blog acabava aparecendo na frente do site do dito jornal nas buscas do Google. Acontece que isso aconteceu sem querer, não sabiamos como essa coisa dos tags funcionava direito e um de nossos colaboradores foi colocando em todos os artigos e acabou acionando o tal “esquema” inadvertidamente. Além disso, naquela época, e esse foi o principal problema, o jornal não disponibilizava os artigos de Pondé em aberto, como faz hoje. Eles era protegidos e o nosso blog os estava publicando, mesmo que indicasse a fonte original (OUTROS BLOGS, além do jornal, veja bem!!!!). Não eramos os únicos, certamente, mas provavelmente os mais visitados e isso irritou o jornal. Os outros blogueiros que publicavam eram “conhecidos” do jornal e, portanto, não formam incomodados, ou não tinham um nro de acessos tão alto que chamasse a atenção, como aconteceu conosco.

          Basicamente, para voltarmos ao normal, tivemos que aguardar que a WordPress averiguasse, em primeiro lugar, que nossa conta controlava outros blogs que não tinham NADA A VER com este e, portanto, não podiam ter seus conteúdos bloqueados. Após essa confirmação, eles liberaram os outros e deixaram este bloqueado até que removessemos todo o conteúdo que pertencia ao jornal. Na verdade, tivemos de trocar um nro considerável de emails com uma variedade de pessoas até que eles entendessem que os artigos do jornal NÃO ERAM o único conteúdo do blog, que tinhamos outros conteúdos aqui publicados com a autorização do autor ou das fontes originais. Só então, depois de serem convencidos disso, eles desbloqueram o blog e nos deram um prazo para removermos todo o conteúdo que pertencia ao jornal.

          Após o incidente, decidimos fechar o blog, mas alguns dos colaboradores, muito prestativos, insistiram que o mantivéssemos aberto e foram reajustando o conteúdo para não termos mais problemas. Passamos a publicar os artigos do jornal fechados com senha, disponível apenas para seguidores (passando a senha por email). Depois, ao perceber que os outros blogueiros todos que também publicavam os textos de Pondé não tiveram qq problema com o jornal e continuaram postando os artigos, começamos a liberar apenas uma citação pequena de cada texto e direcionar o leitor para esses outros blogs. Por fim, voltamos a publicar os artigos inteiros depois que o jornal liberou o acesso, sempre com link para eles e para outro blog que também publique, isentando-nos, dessa forma, de qq acusação de violação de direitos. Ou seja, não estamos mais copiando o conteúdo do jornal e SIM de outro blogueiro.

          De qq forma, o resumo da ópera é que isso só aconteceu porque muita gente estava acessando nosso blog, o nro de seguidores aumentando, e haviamos criado conta em twitter e facebook. Não acreditamos que seja coincidência que as advogadas do jornal tenham alertado o wordpress DOIS DIAS depois que abrimos a pagina do facebook anunciando o nro de seguidores. Certamente uma coisa está ligada a outra. Eles não gostaram, foi isso. Mas este blog, ainda que nos últimos tempos só tenha publicado os artigos de segunda-feira, não se presta só a isso. A intenção original continua sendo o objetivo de sua existência: reunir os textos de Pondé em um só lugar.

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: