CITAÇÕES



“Sou apenas alguém que, sem até hoje saber a razão, passou a ser constantemente visitado — no sentido mais comum que a expressão tem, por exemplo, na tradição do cristianismo ortodoxo — pela sensação de que o mundo é sustentado pelas mãos de uma beleza que é também uma presença que fala.”


“O viés autoajuda assola o mundo e faz de todos nós uns retardados, e mesmo o pensamento publico teme dizer que a felicidade é arrancada das pedras com as unhas.” (Luiz Felipe Pondé, por email para a nossa equipe, 14/03/2011)


“A sinceridade pode curar um covarde. Experimente um dia.”


“Um judeu ateu é sempre um drama maior do que qualquer ateu, porque se assemelha à agonia de um vulcão.” (em um de seus artigos para um jornal paulista, 18 out 2010)


“[...] Milagres, e eu acredito neles, mas nunca serão produzidos em massa através de políticas públicas. Uma das causas da raiva dos ateus contra Deus é porque Ele não é mais democrático na distribuição de milagres.”


“Não acredito que meu pequeno carro aqueça o planeta, mas já estou pagando mais imposto por isso e tenho certeza de que outros virão.”


“Sei que dizem que é fato científico, mas, para mim, que sou um medieval, só acredito na ciência quando vem no formato de resultados de exames de laboratório, e não quando tem a ONU no meio e gente nas bordas ganhando milhares de para salvar o planeta.”


“Humildade é como coragem, só se mede coragem diante da morte ou de algo parecido. A mesma coisa com a humildade. Só se mede a humildade quando você tem razões objetvas para não ter humildade. Assim como a coragem não brota entre covardes, a humildade é uma agonia apenas para quem tem razões de ser orgulhoso”


“O perdão é maior do que a justiça, ele cabe onde a justiça não seria suficiente. É possível ser justo com alguma pessoa, sem perdoá-la.”


“A paranóia é a consciência aguda da fragilidade da vida.”


“Quando se deixa de acreditar em Deus, passa-se a acreditar em qualquer besteira… na natureza, na história, na ciência ou em si mesmo. Essa última eu acho, é a pior de todas. Coisa de gente cafona.”


“Poucos ateus não são descendentes de uma criança infeliz e revoltada. A prova disso é que ateus gostam de falar mal da igreja, de Deus, ou do pai que obrigava a orar. Se você acha que, se formos todos ateus, o mundo será melhor, você é um rancoroso.”


“Quando criança conclui: se Deus, como todo mundo me dizia, era bom, por que eu não era o cara mais fofo do mundo? Decidi que Deus não existia. Ou não era bom. O ateísmo é uma conclusão óbvia, não há nenhuma grande inteligência nisso. Qualquer golfinho consegue ser ateu.”


“Se o fantasma da mulher é a falta de beleza, o do homem é a falta de coragem.”


“Viagra fez mais pela humanidade do que 200 anos de marxismo.”


“Logo criarão uma lei que proibirá as mulheres de serem bonitas em nome da auto estima das feias e proibirão os homens bem-sucedidos de terem carrões em defesa da dignidade do ônibus ou do metrô. Duvida? Basta um mentiroso inventar que isso é necessário para um convívio democrático. Isso se chama a ditadura dos ofendidos.”




“Não é buscando ser amado que escapamos da miséria da baixa autoestima, mas amando. Qualquer egoísta pode ser amado. Os melhores dias da minha vida são aqueles em que eu não lembro que existo.”


“A delicadeza, a sofisticação da alma, o amor ao detalhe e a vontade de entender não são atributos das multidões, e aqui reside grande parte de toda a miséria moderna, ser um mundo de grandes números, dedicado a muitos idiotas.”

(em Contra um Mundo Melhor, Leya, 2010, p. 214-15)


“A graça é generosa, não pensa em si mesma, pode ser humilhada, ignorada, desprezada, mas ainda assim ela dá vida. A natureza só pensa em si mesma, submete todos a ela, é escrava de sua fisiologia, ao fim, vira pedra. É mais ou menos assim que a mãe “mística” define a diferença entre viver segundo a graça ou segundo a natureza. Se a vida é fruto da graça, ela é dádiva de beleza e de bondade, se ela é apenas natureza, ela é cega e sem sentido. O adulto Sean Penn será o herdeiro agoniado desta questão: a vida é graça ou mera natureza? “Devo ser competitivo”, como o pai o ensinou a ser (a natureza), ou “generoso”, como a mãe lhe dizia (a graça)? A morte prematura do irmão será intransponível? Como amar a vida diante da morte? Seria ela a derrota da graça? A vitória da natureza cega? Cada morte é como se fosse a primeira morte no mundo.”

(sobre o filme A Árvore da Vida)


“Um erro comum das mulheres é supor que todos os homens são de fato a fim de todas as mulheres e que se interessam por sexo o tempo todo. A vida masculina está submetida a sutilezas de desejo tanto quanto a vida feminina, mas temos ainda poucos recursos de linguagem para nomear essas variações para além do imaginário cultural que entende que homens “comem” qualquer mulher a qualquer hora. A favor desse silêncio masculino está o medo de “virar gay” ao se tornar sensível, e a insegurança feminina de na verdade não saber lidar com um homem mais sofisticado existencialmente. No fundo, são as mulheres que gostam de homens burros.”

(em Contra um Mundo Melhor, Leya, 2010, p. 168)


“Não esperemos muito das universidades, porque elas servem apenas a si mesmas e a suas carreiras. Verdadeiro wasteland, onde habitam homens e mulheres que se deliciam com o cadáver do espírito. Riem debochados do poder tomado. Fazem das ciências suas criadas, ocupados em garantir seus pequenos apartamentos de classe média. Deliciam-se em suas reuniões intermináveis discutindo a produção da produtividade na mesmice burocrática. Ainda bem, porque do contrário nada teriam a fazer, porque no fundo não têm talento algum. Muitas vezes me pergunto onde vai parar um mundo em que se repete à exaustão que todos têm algum talento. Mentira. Mas, afinal, o que é a vida senão se ocupar de coisas e, ao final, tornar-se mais uma coisa no chão de terra que nos cobrirá a todos?”

(em Contra um Mundo Melhor, Leya, 2010,)


“Não, o amor sabe tanto quanto qualquer um, ciente de tudo aquilo que a desconfiança sabe, mas sem ser desconfiado; ele sabe tudo o que a experiência sabe, mas ele sabe ao mesmo tempo que o que chamamos de experiência é propriamente aquela mistura de desconfiança e amor… Apenas os espíritos muito confusos e com pouca experiência acham que podem julgar outra pessoa graças ao saber.”

(Kierkegaard | via Luiz Felipe Pondé – “Infelizes os que nunca amaram. Nunca ter amado é uma forma terrível de ignorância.”)



2 Respostas to “CITAÇÕES”

  1. “Quando se deixa de acreditar em Deus, passa-se a acreditar em qualquer besteira …na natureza, na história, na ciência ou em si mesmo. Essa última eu acho, é a pior de todas. Coisa de gente cafona.”

    Mas essa frase, muito famosa por sinal, é de Chesterton. O próprio Pondé a profere com frequência, sempre indicando seu autor.

    • Sim, é verdade! Mas pegamos o bloco de citações de um outro site e nem conferimos! Muito obrigado, vamos acertar isso…rsrs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 862 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: